Do Cairo a Bogotá, dez novas confirmações no programa musical do FMM Sines 2018

fmmEncontros explosivos, música nova do Norte de África, grandes senhores, Bogotá eletrónica. São 10 os novos concertos confirmados na 20.ª edição do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo, que se realiza de 19 a 28 de julho de 2018, em Porto Covo e Sines.

Konono n.º 1, grupo bandeira do som Congotronics, regressa a Sines com o novo líder, Makonda, que transporta para o futuro um legado feito de modernidade: o som distorcido dos likembés e os ritmos da fronteira entre a RD do Congo e Angola ao encontro do rock mais aventureiro. Em Sines, o convidado é Aero Manyelo, DJ sul-africano que pratica o “township electro”, house com influências de jazz.

Havana meets Kingston é um supergrupo que junta o melhor de dois mundos. Criado por Mista Savona, pianista e figura tutelar do reggae australiano, reúne músicos de Cuba e Jamaica. Roots reggae, dub e dancehall de um lado. Son, salsa, rumba do outro. A energia das linhas baixo e dos sound systems jamaicanos fundindo-se com o virtuosismo do jazz e da tradição afro-cubana.

Também estará no FMM Sines 2018 o músico americano Robert Finley, que mais de 50 anos depois de ter começado a atuar obtém finalmente o reconhecimento merecido, depois de ter sido descoberto a tocar R&B numa rua do Arkansas por um membro da Music Maker Foundation. Seguiu-se um primeiro LP, em 2016, e o convite de Dan Auerbach (Black Keys) para gravar o segundo, “Goin’Platinum!”.

Carmelo Torres, acordeonista, cantor e compositor, é um dos grandes protagonistas da cumbia sabanera, um estilo dentro da música para acordeão sabanero, conglomerado de géneros que caracteriza a zona rural de San Jacinto, sul de Cartagena, costa caribenha da Colômbia. Conhecido como “Bíblia do Acordeão”, estará no FMM Sines acompanhado pelo grupo Cumbia Sabanera.

Maryam Saleh e Maurice Louca, egípcios, e Tamer Abu Ghazaleh, egípcio de família palestina, cresceram no Cairo nos anos 90 e foram conquistando cada um o seu espaço na música árabe alternativa. A partir de um encontro numa praia de Alexandria, dedicaram três anos da sua vida a dar forma ao álbum “Lekhfa”, sobre poemas de Mido Zoheir, um dos mais talentosos poetas egípcios da sua geração.

AMMAR 808 promove uma viagem pelo Norte de África a bordo de uma caixa de ritmos vintage, a lendária TR-808. Um projeto eletrónico do produtor tunisino Sofyann Ben Youssef, com inspiração nos legados do targ, do gnawa e do raï, desconstruídos por dentro através do TR-808, do gumbri distorcido, da flauta gasbah e da gaita zokra. Folclore, mitologia, futurismo, entre o Magrebe e o espaço.

Na sua primeira digressão europeia, El Leopardo traz uma Bogotá techno a Sines. A alma é o produtor e DJ Daniel Broderick (Dani Boom), figura central da eletrónica colombiana. Techno, house, texturas dub com baixo potente e percussão colombiana. Música que lembra rituais na selva, com Pedro Ojeda na bateria, El Chongo na percussão, Daniel Mitchel no baixo e Mateo Rivano na arte visual.

Também de Bogotá, chega Meridian Brothers, uma criação de Eblis Alvarez que partiu da pesquisa em música perdida em velhas cassetes e do desejo de experimentar formas alternativas de tocar instrumentos e criar por meios eletrónicos. Folclore latino-americano, vallenatos, muitos samples, intervenções teatrais, falsas personagens. O tropical psicadélico original, pela segunda vez no FMM.

Ainda de Bogotá, estará em Sines o duo Cero39, Mauricio Alvarez e Dario Sendoya, exploradores colombianos da música eletrónica alternativa com raízes tropicais. Profundo e futurista, com uma forte componente de baixo, o seu som encontra referências na música latino-americana em geral e na afrocaribenha em particular, deambulando pelo indie-reggaeton, hip hop, champeta, cumbia e dembow.

Finalmente, confirmamos Meszecsinka, banda de fusão folk psicadélica de Budapeste, com Annamária Oláh, cantora de extensos recursos dramáticos, Emil Biljarszki (teclas e guitarra), Árpád Vajdovich (baixo), Dávid Krolikowski (percussionista) e Karen Arutyunyan (guitarra, douduk e flauta). Uma formação onde corre sangue húngaro, búlgaro, polaco, croata e arménio e que nos guia por um território de transe.

CANCELAMENTOS: LADYSMITH BLACK MAMBAZO E DAYMÉ AROCENA

Lamentamos informar que os concertos de Ladysmith Black Mambazo e Daymé Arocena, anteriormente anunciados, não poderão ocorrer nesta edição do festival.

O FMM Sines – Festival Músicas do Mundo tudo fará para que a sua vinda ao festival se concretize numa próxima edição.

Ver todos os grupos confirmados em www.fmmsines.pt/pages/965.

O alinhamento completo por data, hora e palco será divulgado muito em breve.

Share on FacebookTweet about this on Twitter