Esther Mahlanguvai pintar peças de olaria do Centro Oleiro de S. Pedro do Corval (c/ fotos)

A artista sul-africana Esther Mahlangu visitou no dia 4 de maio o Centro Oleiro de S. Pedro do Corval para conhecer as peças produzidas nas olarias desta localidade do concelho de Reguengos de Monsaraz. Esther Mahlangu foi recebida por José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, esteve acompanhada por Alexandra de Cadaval e escolheu algumas peças para pintar.

A artista tem 82 anos e pertence à comunidade Ndebele, constituída por cerca de 700 mil pessoas que habitam maioritariamente na região de Pretória. Ao contrário de muitas tribos da África do Sul, os Ndebele conseguiram preservar as suas tradições ao longo dos séculos e a herança artística é passada de mães para filhas.

A pintura Ndebele é desenhada à mão-livre, sem medições ou esboços, utilizando tintas brilhantes que dão um grande colorido aos trabalhos. Apesar de parecerem simples, a abstração geométrica revelada pelas pinturas é enfatizada pela constante repetição e simetria de formas tão simples que tornam todo o trabalho bastante complexo. No século XIX, a arte alargou-se dos tecidos às pinturas murais decorativas.

Esther Mahlangu começou a pintar aos 10 anos de idade, foi a primeira artista Ndebele a transpor os murais para telas e tem mostrado os seus trabalhos ao mundo. Mahlangu continua a pintar de acordo com a sua tradição e aplicou os seus desenhos a objetos, como telas, esculturas, cerâmicas, automóveis e aviões, com as suas pinturas em veículos Fiat e BMW e num avião da British Airways. A artista está em Portugal a participar no Festival Évora África, que decorre em vários locais emblemáticos do país, entre os quais o Palácio dos Duques de Cadaval, em Évora, onde criará um mural sobre o evento.