Futebol: Lusitano de Évora e Atlético de Reguengos estão na final da Taça Dinis Vital

c732db05-abae-47e7-bcb2-eacd80993d6e_largeEste sábado, 31 de março de 2018, jogaram-se as meias finais da Taça Distrito de Évora, com o Lusitano de Évora e Atlético de Reguengos a carimbarem a passagem à final da Taça Distrito de Évora “Dinis Vital”,a disputar-se a 12 de maio, no Campo Estrela, em Évora.

O Lusitano de Évora recebeu e venceu com facilidade o Alcaçovense por 4-0, enquanto que o Grupo União Sport (GUS) viajou até ao Campo Virgílio Durão, em Reguengos de Monsaraz, onde defrontou o Atlético Sport Clube, perdendo por 3-0.

O União nesta temporada ainda não tinha conseguido bater o Atlético de Reguengos e, uma vez mais, apresentando-se muito desfalcado, não conseguiu ser feliz nem teve a sorte do jogo. A partida entre Atlético e União começou de forma viva e movimentada. Na primeira parte a nota dominante foi o equilíbrio, com poucas oportunidades de golo, mas com a equipa da casa com mais posse de bola e melhores chances de marcar. Logo aos 3 minutos o Atlético teve uma grande oportunidade, com a defesa alvinegra a não conseguir a interceção da bola, mas Zé Feio falhou de forma escandalosa. O União respondeu, com Chiola já muito perto da grande área a sofrer falta, mas do livre não resultaria nada. Aos 28 minutos, e sem Nuno Brás a ver a bola partir, o esférico sobra à entrada da grande área para Paulo Bento, que aproveitou para rematar para o primeiro da tarde. Pouco depois Paulo Bento apareceu novamente em zona de finalização, antecipando-se a um defesa do União, mas rematou por cima. O União tentou responder, mas o Atlético embora mais recuado, foi mais perigoso no contra ataque. O resultado ao intervalo justificava-se, pois o União apresentou um caudal ofensivo insuficiente, deixando desamparado o ponta de lança Xande.

A 2.ª parte iniciou da pior forma para a equipa forasteira, já que logo no 1.º minuto é marcada grande penalidade contra o União, a castigar mão de Pedro Catarro. Na marcação, Paulo Bento não falhou e bisou no encontro. O União teve uma boa reação e respondeu muito bem ao golo madrugador, um autêntico murro no estômago. Após marcação de livre perigoso, Chiola encheu o pé para uma boa defesa de Rosindo. Aos 55 minutos, Cipriano Madeira faz as primeiras alterações, com Jean e Lino Malhão a substituirem Pedro Catarro e André Pinto. Em termos táticos também houve mudanças no GUS, pois a equipa Montemorense arriscou e passou a jogar apenas com 3 defesas. O União estava a ser superior na 2.ª parte mas o golo tardava. Aos 70 minutos, Zé Feio, faz um golo do outro mundo para a equipa da casa, com um remate a 30 metros, com Nuno Brás fora da baliza, piorando o cenário para a formação do União. Aos 77 minutos, no GUS, entrariam Fábinho e Adrien para os lugares de Capela e Profeta. Simultaneamente, o Atlético trocaria Pedro Balixa por Rosado. Entretanto, Adrien seria expulso, na nossa perspetiva mal, pois tirou esforço de uma falta, mas não agrediu Fábio Silva. Com o jogo resolvido, aos 84 minutos, Nuno Silva rendeu Chiola, que foi dos mais rematadores, enquanto que no Atlético saiu Canete e Zé Feio, entrando para os seus lugares Marvin e Dário. Ao cair do pano, o Atlético voltaria a mexer, saindo Canoa e Paulo Bento, rendidos por Miguel e Dinis.

Em resumo, trata-se de um resultado demasiado pesado para o União, que entrou bem na 2.ª parte, mas a grande penalidade madrugadora e o golaço de Zé Feio, mataram a chance do União discutir as contas deste jogo, saindo deste modo da Taça. O resultado, tal como ao intervalo, acenta bem ao Atlético de Reguengos.

Resultados:

At. Reguengos 3-0 U. Montemor

Lusitano Évora 4-0 Alcaçovense