Monsaraz Windsurf Festival: esperados mais de 40 velejadores de Portugal, Espanha e Inglaterra

Monsaraz Windsurf Festival (16)A primeira prova do circuito Formula Windsurfing Series 2018 vai decorrer entre os dias 29 de março e 1 de abril junto ao Centro Náutico de Monsaraz e à praia fluvial de Monsaraz. Este ano, o Monsaraz Windsurf Festival vai pontuar para o campeonato nacional e para o Campeonato Ibérico de Águas Interiores de Formula Windsurfing e integra pela primeira vez uma prova do Campeonato Ibérico de Raceboard.

Monsaraz Windsurf Festival é uma competição organizada pela Associação Formula Windsurfing Portugal e pelo Clube Naval de Portimão com o apoio do Município de Reguengos de Monsaraz. As regatas deverão decorrer entre as 12h e as 18h durante os quatro dias de competição.

Na classe de Formula Windsurfing são esperados cerca de 30 participantes de três países, nomeadamente de Portugal, Espanha e Inglaterra, com destaque para David Coles, que integra o top 3 do campeonato inglês, e para Miguel Martinho, 19 vezes campeão nacional e vice-campeão do mundo de masters. Na classe Raceboard haverá uma dezena de competidores de Portugal e de Espanha, entre os quais o português Pedro Moura que já atingiu o pódio no Campeonato do Mundo de Masters de Raceboard.

O Monsaraz Windsurf Festival é a primeira prova oficial do ano destas duas classes na Europa. O circuito Formula Windsurfing Series 2018 engloba quatro provas, duas das quais fazem parte do Campeonato Ibérico de Águas Interiores, nomeadamente a que se vai realizar em Monsaraz e a segunda etapa que decorre em Cascais (31 de maio a 1 de junho). A terceira etapa será em Portimão (29 de junho a 1 de julho) e a última na ilha do Faial (6 a 9 de setembro).

Esta prova de Raceboard é a mais importante da Península Ibérica, pois é a única que integra o Campeonato Ibérico de Raceboard. Esta classe está a ser reativada há cinco anos e o número de competidores tem aumentado na Europa. Em Portugal, há mais de 20 anos que não se realizam provas de Raceboard e esta servirá de teste para a eventual organização de um ranking nacional no próximo ano e para o Campeonato do Mundo de Masters desta classe que se vai disputar em setembro, em Portimão.

Estas duas classes são parecidas ao nível da prova, com o mesmo percurso e as mesmas táticas de regata, sendo as principais diferenças o equipamento e o vento mínimo para se iniciar a prova. Os velejadores da classe de Raceboard usam pranchas com cerca de 3,75metros de comprimento com fin(quilha da prancha)e patilhão, velas até ao máximo de 9,5 metros quadrados e o vento mínimo de inicio de prova são 5 nós. Na classe de Formula Windsurfing são utilizadas pranchas com o máximo de 2,40metros de comprimento só com fin, velas até 12,5metros quadrados de área e a prova começa quando há mais de 8nós de vento.

A Formula Windsurfing foi criada em 1999 com o objetivo de ser uma classe de forte vocação para a competição, mas também para reduzir a quantidade de material que um atleta tem de transportar para cada campeonato, pois só poderá inscrever uma prancha, três velas e dois fins. Assim, torna-se mais fácil um amador poder competir com os profissionais, uma vez que existe um maior equilíbrio e sobressai a técnica e a tática do próprio velejador.

Share on FacebookTweet about this on Twitter